The seventh wave of innovation is called…

(Texto em Português depois deste)

 

Waves!

May be because I was born beside the sea, watching the waves formed by water always brought me moments of reflection.

A wave is a movement caused by a disturbance that propagates through a course.

When we throw a stone into a lake of calm waters, the impact will cause a disturbance in the water, causing circular waves spreading across the surface.

Imagine a fusion of crystals of creativity, knowledge and collaboration, as it happens with a piece of granite, quartz, feldspar and mica, and throw that combination into the organization!

The result would be a finite propagation of waves of innovation.

We know that in a usually the waves has as fundamental characteristic propagating energy without movement in the way.

However there is one type of waves that is more akin to innovation and those are the sea waves that to my delight I ordered below.

Today innovation is similar to the seventh wave, carries change and impacts because it supports creativity and focuses more on people, but always comes after the previous six who had her story and allowed to evolve from the mistakes and failures.

To M. Slocum the first wave is characterized by the systematic structure and productivity that has occurred over the past 100 years.

The second wave was the search of results that are predictable and reproducible. This has elevated the field of quality, the level of performance that surpasses anything seen historically.

The third wave, structured innovation allows us to reinvent and reinvigorate our business models.

The fourth wave or the revolution of the IP is well covered by Paul Reynolds in 2005.

The fifth wave is the launch of Living Labs and Smart Cities.

The sixth wave of innovation is the nanotechnology also a historical development possible by technology evolution.

The seventh wave reminds me the evaluation that the leaders make of themselves:

-I’m the leader because I am able to generate a large amount of energy and participation, not because I control departments or organizations x.

-‘m the leader because I do the management of ocean (blue) waves and not the borders of a stagnant lake.

In my opinion the seventh wave will correspond to the results of initiatives such as the MIX – Management Innovation Exchange, an open innovation project aimed at reinventing the management of the 21st century.

Its manifesto can be read here, but I cannot resist sharing a few quotes from Gary Hamel:

“We live in a world where our experience of management has been unchanged.

The technology of management varies little from firm to firm. That is why leaders can go from company to company and still have pretty much the same levers to push and pull.

Isn’t it weird that organizations are so much less adaptable/inventive/creative/engaging/interesting than we are?

The next generation is going to demand a new style of management. For the 1st time you cannot create an organization fit for the future unless it is fit for human beings.”

And all this because the most important invention of the last 100 years is management!

 

Dou you agree?

A sétima onda em inovação chama-se…

 

 Vagas!

Talvez por eu ter nascido junto ao mar, a observação das ondas formadas pela água, sempre me trouxeram momentos de reflexão.

Uma onda é um movimento causado por uma perturbação que se propaga através de um meio.

Quando atiramos uma pedra em um lago de águas calmas, o impacto causará uma perturbação na água, fazendo com que ondas circulares se propaguem pela sua superfície.

Imaginemos uma fusão de cristais de criatividade, conhecimento e colaboração, tal como acontece com uma pedra de granito, quartzo, feldspato e mica e atiremos essa combinação para o interior da organização!

O resultado seria uma propagação finita de ondas de inovação.

Nós sabemos que de uma forma geral as ondas têm como característica fundamental propagar energia sem que haja movimentação no meio.

No entanto há um tipo de ondas que se assemelha mais à inovação e que são as ondas do mar e que para meu contentamento ordenei em baixo.

Hoje a inovação assemelha-se à sétima vaga, transporta mudança e causa impacto porque se sustenta na criatividade e se centra mais nas pessoas, mas chega sempre depois das seis anteriores que tiveram a sua história e que permitiram evoluir com os erros e insucessos.

Para M. Slocum  a primeira onda caracteriza-se pela estruturação e pela produtividade sistematizada que tem ocorrido ao longo dos últimos 100 anos.

A segunda onda foi a procura de resultados que são previsíveis e reproduzíveis. Isso tem elevado, no domínio da qualidade, o nível de desempenho que supera qualquer coisa vista historicamente.

A terceira onda, inovação estruturada, permite-nos reinventar e revigorar os nossos modelos de negócio.

A quarta onda ou a revolução da PI foi bem abordada por Paul Reynolds em 2005.

A quinta onda é o lançamento dos Living Labs e Smart Cities.

A sexta onda da inovação é a nano tecnologia, um desenvolvimento também histórico e possível graça à tecnologia.

A sétima onda faz-me lembrar a avaliação que os líderes fazem de si próprios.

Eu sou líder porque sou capaz de gerar uma grande quantidade de energia e participação e não porque controlo n departamentos ou x organizações.

Eu sou líder porque faço a gestão das ondas do mar e de uma praia e não das beiras de um lago de águas paradas.

Na minha opinião a sétima vaga vai corresponder aos resultados de iniciativas como o MIX – Management Innovation Exchange, um projecto de inovação aberta destinado a reinventar a gestão do século 21.

O seu manifesto pode ler-se aqui! Mas não resisto à partilha de algumas citações de Gary Hamel:

“Vivemos num mundo onde a nossa experiência de gestão foi inalterado.

A tecnologia de gestão pouco varia de empresa para empresa. É por isso que os líderes podem ir de empresa para empresa e ainda usarem praticamente as mesmas alavancas para empurrar e puxar.

Não é estranho que as organizações são muito menos adaptáveis / inventivas / criativas / envolventes / interessantes do que nós?

A próxima geração vai exigir um novo estilo de gestão. Pela 1 ª vez não se pode criar uma forma de organização para o futuro a menos que ela esteja apta para os seres humanos.”

E tudo isto porque a invenção mais importante dos últimos 100 anos é a gestão! 

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: