In Open Innovation above all we need trust!

 

(Texto em Português depois deste)

It’s not a matter of believing or not!

The organizational diversity as a principle facilitates the creation of knowledge, but it can create obstructions and derail the success of open innovation. It is essential therefore to know how people, embedded in teams, create knowledge in open innovation and what problems they face.

The networks are increasingly operating on small and medium enterprises as a way to learn about business opportunities and their potential.

Nevertheless the leaders and managers of SMEs do not show behavior and practices typical of an exploitative attitude or creation of networks of exploitation. They do not tend to commit themselves to activities typical of collaboration, whether in creation or in marketing.

It happens most likely because there is no climate of trust that can promote such collaboration. In the absence of climate leaders and managers who have integrated some knowledge about the new opportunities from the networks do not leave their embryonic stage of construction for collaboration, and have difficulty in seeing a decrease in the risk that the collaboration network shows.

Building trust is vital and facilitator for business online.

If a leader of innovation has built trust with its internal staff, essential step in a progression in an environment of open innovation, this means that the company’s employees are already imbued with the ambition to be innovative.

An irrefutable fact today is that innovation is not happening without connections, without networks and consequently, the employees of companies will face the same challenges of confidence that its leaders or managers.

To meet these challenges of trust leaders should provide cutting-edge technology as a tool for gaining trust.

The more evolved the technology more credibility and greater responsiveness to others.

But technology is not sufficient to increase levels of trust in Open Innovation. It is also necessary that there be greater collaboration and this should be done through the start of the project, i.e. from planning. Thus there is a way to identify the language or construction of common language, the transformation of implicit at explicit and in the acquisition of meaning and purpose of the plan.

Also the way for the conclusion of the contract is previously known and facilitates its implementation.

The issue of trust is not restricted to the foregoing. The equivalence of core competencies of knowledge through networks should be evaluated and reviewed to ensure open communication and not give way to frustration over the process of collaboration in Open Innovation.

By entering the world of organizations must take into account that there are many differences with what may be we thought about the structure and behavior of organizations.

Organizations have predominantly two orientations to act or face more analysis and reliable results or open to risk and long term.

To reduce that load centered innovation “closed ” and facilitate the creation of trust , leaders of organizations should review some methods of management to develop a culture of open innovation :

– Reload the energies in the planning process, specifically including external resources as the basis of available resources. Transparency builds trust!

– The top leadership must be visible, committed and tireless in its support for open innovation. The visibility promotes reputation.

– The leadership communication with staff should be a dialogue with continuous assessment and criteria. The dialogue promotes responsibility.

– Adapt the infrastructure of the possible involvement of intermediaries holding high levels of confidence.

– Use information technology to monitor internal and external information. Openness to knowledge promotes confidence. ”

(Adapted from Witzeman et al.)

When the leadership manages the involvement of internal and external components, ensuring these assumptions trust is easily installed on both sides of the border.

Trust is built with openness, transparency, reputation and building a true culture of open innovation.

Em Inovação Aberta antes de mais a confiança!

Não é uma questão de acreditar ou não!

A diversidade organizacional, por princípio facilita e a criação de conhecimento, mas pode criar obstruções e inviabilizar o sucesso da inovação aberta. É fundamental, portanto, saber como as pessoas, inseridas em equipas, criam conhecimento em inovação aberta e quais os problemas que enfrentam.

As redes funcionam cada vez mais para as pequenas e médias empresas como um caminho para saber sobre oportunidades de negócios e sobre o seu potencial.

Apesar disso os líderes e gestores das PME não demonstram comportamento e práticas típicas de uma atitude exploradora ou de criação de redes de exploração. Eles não tendem a comprometer-se com actividades típicas de colaboração, seja em criação seja em comercialização.

Muito provavelmente porque não existe um clima de confiança capaz de promover essa colaboração. Por ausência deste clima os líderes e gestores que integraram algum conhecimento sobre as novas oportunidades a partir das redes não saem do seu estado embrionário de construção da colaboração, e sentem dificuldade em visualizar uma diminuição de risco que a colaboração em rede apresenta.

A construção de confiança é uma questão vital e facilitadora para os negócios on-line.

Se um líder de inovação já construiu a confiança interna com os seus colaboradores, passo essencial para uma progressão num ambiente de Inovação aberta, isso significa que os colaboradores da empresa já estão imbuídos da ambição de ser inovador.

Um facto hoje irrefutável é que a inovação não acontece sem conexões, sem redes e consequentemente, os colaboradores das empresas irão enfrentar os mesmos desafios de confiança que os seus líderes ou gestores.

Para enfrentar esses desafios de confiança os líderes devem fornecer tecnologia de vanguarda como ferramenta de conquista de confiança.

Quanto mais evoluída a tecnologia maior credibilidade e maior receptividade a terceiros.

Mas a tecnologia não é suficiente para aumentar os níveis de confiança em Inovação Aberta. É também necessário que haja uma maior colaboração e esta deverá ser feita através do início do projecto, ou seja, desde o planeamento. Desta forma há lugar a uma identificação de linguagem ou construção de linguagem comum, transformação do implícito em explícito e aquisição do significado e propósito do plano.

Para além disso o caminho para a conclusão do contrato fica previamente conhecido e facilita a sua realização.

A questão de confiança não se resume ao que atrás foi dito. A equivalência de competências fundamentais do conhecimento através das redes deve ser avaliado e analisada para garantir uma comunicação aberta e não dar lugar a frustrações ao longo do processo de colaboração em Inovação Aberta.

Ao penetrar no mundo das organizações devemos ter em conta que existem muitas diferenças em relação ao que possivelmente pensávamos sobre a estrutura e comportamento das organizações.

As organizações apresentam predominantemente duas orientações de actuação, ou mais viradas para a análise e resultados confiáveis ou com abertura ao risco e ao longo prazo.

Para diminuir esta carga centrada na inovação “fechada” e facilitar a criação de clima de confiança, os líderes das organizações devem rever alguns métodos de gestão para desenvolver uma cultura de inovação aberta:

“- Recarregar as energias no processo de planeamento, incluindo explicitamente os recursos externos como base dos recursos disponíveis. A transparência cria confiança!

– A liderança de topo deve ser visível, empenhada e incansável no seu apoio à inovação aberta. A visibilidade promove a reputação.

– A comunicação da liderança com os colaboradores deve ser um diálogo com avaliação contínua e critérios claros. O diálogo promove a responsabilidade.

– Adaptar a infra-estrutura à possível participação de intermediários detentores de elevados níveis de confiança.

– Utilização de tecnologia de informação para monitor informação externa e interna. Abertura ao conhecimento promove confiança. “

(Adaptado de Witzeman et al.)

Quando a liderança gere o envolvimento das componentes interna e externa, assegurando estes pressupostos a confiança facilmente se instala em ambos os lados da fronteira.

A confiança constrói-se com abertura, transparência, reputação e uma verdadeira construção de cultura de inovação Aberta.

Anúncios

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: