As 7 razões porque eu acredito em Inovação Aberta

Inovação aberta faz parte do jogo

 

A Inovação Aberta, traz resultados mensuráveis para quem a abraça com custos mais baixos do que os métodos tradicionais.

“Inovação aberta “, isto é, “ a utilização das entradas e saídas de propósitos de conhecimento para acelerar a inovação interna, e ampliar os mercados, para o uso externo das inovações, respectivamente. [Este paradigma] pressupõe que as empresas podem e devem usar ideias externas, assim como ideias internas, e caminhos internos e externos para o mercado, como olham para o avanço da sua tecnologia. ” – Henry Chesbrough

A Inovação Aberta, é dura! Pede competências diferentes e habilidade para enfrentar novos desafios.

A Inovação aberta, requer disciplina, para desenhar e experimentar as opções certas, para se envolver em novas competências e, ferramentas, bem como, processar tudo isso, não perdendo o ritmo desejado. 

A Inovação Aberta, traz velocidade na colocação de produtos ou serviços no mercado.

A Inovação Aberta, pode reduzir riscos, ao tomar decisões, pois apresenta mais e melhores alternativas.

A Inovação aberta, promove a interdisciplinaridade e isso aumenta o valor da marca.

A Inovação Aberta, permite uma colaboração com as universidades, reduzindo as fissuras existentes entre estas e as organizações.

Vejamos o exemplo da Deutsche Telekom:

“A aplicação consistente da lógica de inovação aberta conduz à inclusão do cliente. Inovação aberta ajuda a abrir as fronteiras da empresa, promovendo a cooperação e integração de know-how externo de correctores para cumprir os requisitos mais exigentes do ecossistema de inovação. Além de filiais, fornecedores, concorrentes, consultores, bem como privadas e instituições públicas de pesquisa, em primeiro lugar, o cliente desempenha um papel decisivo (Eurostat 2007).

Os clientes são parceiros iguais nos processos de desenvolvimento da Deutsche Telekom, como parte de uma abordagem coerente da inovação aberta. Os quatro métodos de integração do cliente – método de usuário chumbo, concurso de ideias, comunidades virtuais, e “kits de ferramentas para a inovação” – são baseadas em princípios teóricos e são exemplares para a integração do usuário na abordagem de inovação aberta.”

A abertura na inovação fornece uma visão geral de como as empresas podem beneficiar a partir de fontes externas de conhecimento.

Como num processo de transferência de conhecimento tudo depende da capacidade de absorção. A diferença de capacidade explica muitas vezes, porque uma organização tem mais sucesso, do que outra.

A capacidade de absorção, e a abertura ao exterior (inovação aberta) estão intimamente ligadas e, essa ligação é caracterizada frequentemente por receios de fuga de informação ou de outro tipo de insegurança. Nós sabemos que situações análogas acontecem em qualquer momento e em qualquer lugar, por isso é importante a disciplina quando se uma organização abraça a inovação aberta.

Não só as organizações que pretendem imprimir esta via que se confrontam com conflitos. Eles também existem entre ouros parceiros no processo colaborativo. Veja-se o conflito entre Bright Ideia e Imaginatik.

Uma boa notícia para finalizar:

Hoje (27/01/10/), 10 organizações líderes, anunciaram o lançamento do GreenXchange (GX), um mercado baseado na Web, onde as empresas podem colaborar e compartilhar a propriedade intelectual (IP), que pode levar a novos modelos de sustentabilidade empresarial e inovação.

Os 10 sócios fundadores da GX, partem de um compromisso com o poder da inovação aberta e das redes de colaboração para impulsionar a inovação sustentável através de suas tecnologias patenteadas disponíveis para a pesquisa e licenciamento. “Hoje, a Best Buy também vai comprometer-se com o licenciamento de patentes e informação sobre GX para apoiar a inovação sustentável, disse Kal Patel, vice-presidente executivo da Best Buy Emerging Business.

Don Tapscott, co-autor de “Wikinomics” e presidente da nGenera Insight, é um pensador visionário que inspirou e ajudou a GX a incubar em conjunto com a Nike, Negócios Sustentáveis e um Laboratório de Inovação. Tapscott disse: “Cada vez mais é um bom negócio para as empresas  compartilhar alguma da sua propriedade intelectual. GreenXchange é o novo Commons, e mediante a aplicação da inovação aberta e sustentabilidade, vai contribuir não só para a saúde e bem-estar do nosso planeta, mas também para o controle de custos e competitividade dos seus membros (empresas). ” Trading Markets

Ainda acha que não vale a pena? Porquê?

Advertisements

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: