Objectives on Innovation

Surpreendente! Incremental e adaptativa.

Quando as empresas procuram um lugar ao Sol, num mercado competitivo, um dos desafios que podem abraçar é a implementação de uma política orientada para a inovação incremental.

Esta atitude permite a manutenção de uma estrutura de investimento e alavanca a organização para os seus objectivos globais.

O caminho pode ser dado através de inovação incremental e adaptativa.

È o caminho das “surpreendentes e baratas modificações”.

Para isso na organização deve estar bem claro:

Compromisso dos níveis mais altos na organização. A gestão de topo precisa ser o motor da inovação, através do estabelecimento de um plano de acção e introdução das iniciativas.

Desenvolvimento de redes internas e externas. A multiplicação de parcerias e a busca por diferentes pontos de vista e conhecimentos.

Fortalecimento da cultura de inovação. Este precisa de se tornar uma parte integral dos processos da empresa.

Medição de iniciativas de inovação. Em função de objectivos alvo, fornecer as ferramentas disponíveis para incentivar a inovação.

 

Hutch Carpenter, no blog SPIGIT, refere: “Objectivos também são bons para mobilizar as pessoas. São uma experiência compartilhada, e provocam comportamentos, tanto cooperativo como competitivo.

O desafio é definir metas de inovação, que se estenderão à inventividade dos trabalhadores, sem causar quebras. O objectivo deve dar um bom e duro empurrão para uma capacidade de inovação de cada um. Mas isso não deve ser sentido como um desafio ridículo.

Considere duas coisas na abordagem ao estabelecimento de objectivos:

  1. Alavancar os principais processos da empresa no estabelecimento de metas.
  2. Os objectivos são concretos e relevantes para os indivíduos que trabalham em diferentes grupos.”

 

Peter Drucker disse, “O objectivo da inovação é o objectivo pelo qual uma empresa faz a sua definição operacional de “o nosso negócio deve ser.”

O problema na definição de objectivos de inovação é medir o impacto e a importância relativa das diversas inovações.

Como poderemos verificar o que trará mais vantagens à organização? Uma série de pequenas inovações incrementais ou uma grande descoberta?

Sabemos que nos últimos anos, a inovação aberta se tornou cada vez mais importante, apesar de ainda haver uma boa dose de receios, preconceitos e até orientações políticas adversas.

A inovação aberta permite que as empresas sejam capazes de responder de forma rápida e flexível, adaptando-se, às mudanças no ambiente e para se manterem competitivas.

Por exemplo, em openiinovation.eu, pode ler-se: “Através da cooperação com empresários inovadores ou com as universidades, a fim de chegar a novas inovações ou através da utilização de capital de risco para trazer novas tecnologias, que não se encaixam na estratégia actual, para o mercado externo. Gestores de empresas europeias estão descobrindo cada vez mais a inovação aberta como um grande desafio para acelerar o seu processo de inovação e melhorar a inovação de estratégias de crescimento. No entanto, há ainda um longo caminho a percorrer. Inovação aberta ainda não está totalmente desenvolvida como uma nova prática de gestão para estimular a inovação nas empresas europeias e muitas empresas ainda estão lutando com a aplicação adequada do mesmo.”

Como se verifica, existe ainda uma ambiente dentro das organizações que não facilita o desenvolvimento de novas iniciativas. A definição de objectivos e estabelecimento de metas em inovação, é favorável à dinamização de novas práticas de gestão, pois empurra as lideranças para novos desafios.

Uma alternativa viável para as organizações é, dado o risco inerente à actividade inovativa, melhorar as hipóteses de sucesso perseguindo múltiplos objectivos paralelos.

A inovação baseia-se em muitas fontes de ideias.

Criatividade e conhecimento.

As fontes de conhecimento, nas organizações, devem ser alargadas, e isso faz-se também com inovação aberta. Também no conhecimento é possível estabelecer metas e objectivos de forma a alavancar a eficácia inovativa e consequentemente o desenvolvimento global da organização.

“Os resultados empíricos sugerem que os horizontes mais amplos em relação aos objectivos de inovação e fontes de conhecimento estão associados com o sucesso da inovação. Não encontramos retornos diminuindo a amplitude de objectivos de inovação, o que sugere que as empresas tendem a procurar demasiado restritivamente. Interpretamos estes resultados à luz dos conhecidos preconceitos cognitivos para busca em domínios relativamente familiar.” – Interscience

Dentro das organizações e seguindo uma política de estabelecimento de metas e objectivos, é possível, não só criar um saudável nível de competitividade entre as várias equipas, como também desenhar o todo do processo inovativo.

São vários os aspectos que devem convergir para o sucesso na organização: Abertura, objectivos, medidas, incremental e adaptativo e abertura.

Esta é uma opinião! Qual é a sua?

Anúncios

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: