A história de um vinho a pensar design

Conta-me como foi!

As novas estratégias devem resultar em diferenças que importam e com um propósito que envolva todos os afectados por elas.

Pensar design é uma capacidade de compreender um sistema, o nosso ecossistema e a nossa relação com ele, e o nosso papel e importância nele, de uma forma diferente

Eu tenho um terreno, nas encostas do Douro-Portugal, que em princípio tem boas condições para a produção de vinho. O meu problema, dada a profusão de tipos de vinho é encontrar algo único, que provoque a admiração e a fidelização dos meus clientes. Algo novo, distinto, elegante e rentável.

O lugar em si é de uma beleza extraordinária, e foi inspirador para a equipa, interdisciplinar que reuni! É certo que há tempo para usufruir da natureza, mas o tempo é tão precioso quanto o vinho, que pretendemos encontrar.

As primeiras ideias começaram a surgir, e desde logo saltaram em várias direcções: o melhor tipo de solo, a melhor orientação, as castas possíveis, as combinações de castas e aguardentes, a natureza mais ou menos biológica, a embalagem, a rolha, etc.

Era o inicio da ideação.

Experimentamos e analisamos solos, e colocámos hipóteses de cultivo. Nada assegurava o resultado final ambicionado, como se de uma soma aritmética se tratasse, mas prometia.

Realizaram-se buscas para encontrar as cepas necessárias à revitalização da vinha.

Experimentaram-se combinações de colheitas e analisaram-se resultados. A direcção estava alinhada com os objectivos.

Afinaram-se aromas e percentagens de álcool. A cor era a desejada.

Faltava a selecção da garrafa, rolha e rótulo que combinassem com a natureza do vinho. A expectativa era imensa e igualava a paixão pelo trabalho.

Centrados no avaliador final, o consumidor pessoa, refinamos os factores que podiam provocar as emoções que esperavam ter, ao provar o vinho, e colocamos alguns conselhos na embalagem para usufruir do produto.

Tudo estava pronto e necessário agora, contar uma história de forma elucidativa, dizendo que a ideia é boa e pode funcionar.

O funil foi usado para encontrar o algoritmo, a partir do mistério e passando pela holística, a conselho de Roger Martin.

No caso do vinho de selecção o funil foi usado para filtrar as impurezas!

Nota: Esta história é ficcionada.

Sirva-se e dê dois dedos de conversa! À saúde!

Anúncios

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: