Pensar design e a navalha

A lâmina que corta

Está na hora de acabar com os silos departamentais e abraçar a colaboração.

As equipas interdisciplinares necessitam de catalisadores para promover não só a abertura das portas dos gabinetes como para pôr a funcionar os recursos das organizações.

Claudia Kotchka Chefe de Inovação em P & G,diz:

“Depois de observar o consumidor e de ter uma sensação para as possíveis soluções para qualquer problema que se está a trabalhar, começa-se imediatamente o desenvolvimento de protótipos. Estes protótipos são feitos de papelão e fita adesiva e são realmente muito duros, porque a ideia por trás de um protótipo não é sobre a tentativa de maqueta que se pretende fazer, é sobre o fornecimento de uma base visual para um diálogo com o usuário. Design é um processo interactivo – construir um protótipo, veja a opinião do consumidor, a mudança do protótipo, levá-lo para trás, conseguir mais entradas e manter apenas a interacção com o consumidor até o consumidor, dizer, ‘Uhau, eu adoro isso “.”

Os projectos funcionam em pequenas equipas, cerca de dez pessoas, com diferentes funções e que se juntam para com base num processo pensar design abraçar os desafios e encontrar soluções.

“Reunimos as pessoas durante duas a 10 semanas e mandá-los vir de volta com uma solução. Primeiro, nós ajudámos a compreender o processo de pensamento do projecto, e então vamos deixá-los soltos para descobrir soluções para os problemas realmente difíceis. Nós temos pessoas que são treinados sobre “como ajudar a equipa a ser eficaz”, e têm sido muito bem sucedidos ao ajudar-nos a trabalhar melhor em conjunto e chegar a soluções out-of-the-box ”

Pensar design, um processo que começa com a definição do problema centrada nas pessoas, fruto da observação e da empatia.

Utiliza a divergência para criar várias opções com ideias selvagens sem se preocupar nesta fase com a qualidade.

Converge para a construção de protótipos, tenta e refina, limpa e repete.

Implementa ao executar, observa o resultado e volta a refinar

“Este é um grande exemplo de como implementar o projecto de pensar de forma eficaz. Historicamente, as navalhas das mulheres eram navalhas barbear dos homens pintadas de cor rosa. Mas quando os designers realmente estudaram como as mulheres se barbeavam, perceberam que em primeiro lugar, elas barbeavam no chuveiro e mudaram suas lâminas no chuveiro. Também descobriram que as mulheres pegam a navalha de forma diferente dos homens por causa do ângulo de abordagem diferente. Assim, quando Vénus foi concebido, foi projectada com ergonomia diferente das lâminas de barbear dos homens, e foi projectado com lâminas embalados individualmente de modo que pudessem ser mantidas no chuveiro sem ficar arruinado por causa do piso molhado. Isso é um exemplo de projecto específico para o consumidor, e Vénus tem sido extremamente bem sucedido.” Texto entre “” de autoria de Claudia Kotchka – apresentado por Ben Thompson em Business Managemnt

Um dia em breve a empresa Gillette vai anunciar o desenvolvimento de uma navalha que, graças ao micro-chip de computador, pode realmente viajar à frente no tempo e barbear pelos de barba que ainda não existem – Dava Barry

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: